Primeira reunião de Articulação Nacional dos MUP

enmup 2

Mesa do Encontro Nacional dos Movimentos que lutam por uma Universidade Popular – ENMUP

A primeira reunião da Articulação Nacional dos Movimentos que Lutam por uma Universidade Popular (MUP-AN), deliberada na plenária final do ENMUP, ocorreu entre os dias 19 e 20 de dezembro, na Cidade de Goiânia, com a participação de representantes de Movimentos que lutam por uma Universidade Popular (MUP) das cidades do Rio de Janeiro, Niterói, Goiânia, Aparecida de Goiânia,  Florianópolis, São Paulo e Campinas.

 

Houve em primeiro lugar informes sobre a atuação dos MUP em cada local: participação na luta contra a EBSERH, como no Rio de Janeiro e em Goiás; Na luta contra a remoção de comunidades, como em Seropédica, no RJ; Em atividades de extensão como Assessoria Jurídica Popular, alfabetização de adultos com às trabalhadoras da limpeza da UFG e os cursinhos populares, Cursinho Popular Dirce Machado e o Pré Vestibular Popular Comunidade Faz Arte, que existe desde 2005, em Goiânia; Em ocupações urbanas, como a Comuna Amarildo de Souza, em Santa Catarina e a Comuna 17 de abril, no Ceará; debates sobre MUP e Extensão Popular em Executivas e Federações de curso, como a EXNEF, DENEM, ENECOS e ENESSO.

 

Após a troca de experiência foi feita a divisão de brigadas para o melhor funcionamento dos trabalhos e para que a reunião de articulação nacional dos MUP funcionasse de forma autônoma onde todos os participantes ajudassem em todos os processos desse encontro, desde os debates teóricos até a garantia da infra-estrutura do espaço.

 

O segundo dia de reunião iniciou-se com uma rica formação sobre educação e poder popular, focando no papel da luta por educação popular na luta da classe trabalhadora. A partir disso partiu-se para uma avaliação do Encontro Nacional dos Movimentos em luta por uma Universidade Popular – ENMUP, realizado em agosto de 2014, em Fortaleza, Ceará. Foi consenso o caráter vitorioso desse evento, onde se garantiu a participação de 700 militantes de quase todos os Estados brasileiros, com dialogo com 87 organizações, sejam sindicais, populares, culturais ou estudantis. Ampliou-se de forma significativa o debate que tem sido construído nos MUP nos últimos anos. Ainda se ressaltou o sucesso que o ENMUP alcançou com o contato junto à comunidade que fica nas proximidades da UECE, local do evento, além do bom dialogo com os movimentos sociais que atuam por ali.

 

Ainda há muitos desafios para o nosso movimento, sobretudo na criação de espaços de discussão e luta nos locais onde esses ainda não existem, além do aumento de dialogo com as iniciativas que já existem e que seguem a linha política e de atuação que foi pensada no ENMUP. Em muitos espaços já se debate um projeto de Universidade e Educação Popular! Em outros, apesar de estarem em sintonia com a nossa luta, ainda não há uma visão geral de um projeto alternativo. É na atuação diária e no esforço de agregar, massificar e democratizar cada vez mais esse projeto que conseguiremos unificar todos os movimentos, entidades, organizações e militantes ao redor dessa pauta, que é justa e extremamente importante no conjunto das lutas da classe trabalhadora.

 

Com a análise das experiências locais e da conjuntura nacional de lutas as representações presentes nessa reunião deliberaram a importância de duas campanhas nacionais que fossem impulsionadas por todos os MUP, seriam elas sobre Extensão Popular e Assistência Estudantil. Assim como espaços de informes e trocas de experiências, dessa forma pensou-se na criação de uma página e de um grupo no FaceBook, assim como um grupo de emails. Sobre a EBSERH, que foi luta comum de vários MUP, pensou-se em campanha de agitação e propaganda para ser usada por todos os MUP na sua atuação contra esse processo de privatização dos Hospitais Universitários, tendo em mente que a articulação ampla com os demais sujeitos em luta nessa pauta em cada Estado é condição importantíssima para garantir vitórias. Ainda dois temas foram pensados para se debater e avançar nas próximas reuniões: Como construir atuação e articulação mais organiza dos MUP com os movimentos de reivindicação urbana e, para o interior das universidades, a necessidade de avançar no debate coletivo sobre autonomia universitária, contrapondo-se veementemente à autonomia financeira proposta pelos Governos e pelo capital.

 

Foi no clima de avaliar e comemorar a vitória do ENMUP e do fortalecimento de uma articulação horizontal dos MUP que ocorreu a nossa primeira reunião nacional, mas também com clima de desafio, de caminhada que apenas se inicia, que tem uma longa trilha pela frente, mas sabendo que não estamos sozinhos, que a luta  dos trabalhadores é nossa luta, e que o projeto de universidade popular é luta da classe trabalhadora e de todos aqueles que lutam contra toda e qualquer forma de opressão!

Lutar, Criar, Universidade Popular!

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s